terça-feira, 10 de maio de 2016

Curso prepara técnicos para ajudar no CAR

Nesta semana, de 9 a 13 de maio, técnicos da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) participam de curso de processamento digital de imagens, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), com o apoio do Programa das Ações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).  O objetivo é facilitar a realização do cadastro Ambiental Rural (CAR) de pequenos produtores do estado.
Sergipe tem 49,49% da sua área passível de cadastro inscrita no CAR, o que corresponde a 733.702 hectares, de acordo com o Boletim Informativo do Serviço Florestal Brasileiro (SFB). Índice inferior, inclusive, ao geral da região: o Nordeste tem o menor percentual de área cadastrada, com 59,44%, enquanto o extrato Brasil possui 82% de área cadastrada. Na semana passada, o prazo para adesão ao CAR foi estendido até 5 de maio de 2017 para os pequenos produtores rurais e agricultores familiares.
Os 33 profissionais da Emdagro que participam do curso recebem as orientações de um especialista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) sobre o processamento das imagens. Os profissionais estão divididos em duas turmas. A primeira foi capacitada na semana passada (2 a 6/5), quando participaram técnicos dos escritórios locais da Emdagro dos municípios sergipanos de Carira, Poço Verde, Boquim, Simão Dias, Itabaianinha, Itabi, Porto da Folha, Gararu, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Lagarto Ribeirópolis e Riachão do Dantas.
GESTÃO AMBIENTAL
Segundo o diretor de Desenvolvimento Rural e de Combate à Desertificação do MMA, Francisco Campello, a iniciativa já é uma ação efetiva da agenda em Sergipe para uma gestão ambiental adequada que vem sendo promovida pelo MMA, juntamente com o governo do estado e com o apoio do PNUD, nas áreas suscetíveis à desertificação. Além disso, fortalece a agenda para implementar o CAR em Sergipe. “Com essa iniciativa, esperamos que 70% das propriedades rurais do estado possam ser inseridas no cadastro, fortalecendo as ações já desenvolvidas pelo Serviço Florestal Brasileiro”, destacou ele.
Para o coordenador de Ações Fundiárias da Emdagro, Idalton Antônio Martins, a regularização fundiária, quando faz o levantamento do perímetro dos imóveis, realiza o primeiro passo do CAR, ou seja, o momento de se conhecer o perímetro do imóvel. “Pegamos esse perímetro e sobrepomos para cima da imagem do satélite. A partir dessa imagem, e conhecendo qual é esse imóvel que você vai trabalhar, é possível definir os elementos que são necessários para a execução do Cadastro Ambiental Rural. É para isso que serve o curso de processamento digital de imagem”, explicou o coordenador.
MMA
Postado por: Ygor I. Mendes

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

CAR: prazo vence em maio e ruralistas já falam em prorrogação

Faltando pouco mais de dois meses para vencer o prazo final para os proprietários rurais aderirem ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), os ruralistas já se movimentam para tentar uma nova prorrogação. Amanhã, a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) se reúne com o diretor do Serviço Florestal Brasileiro, Raimundo Deusdará, para discutir o andamento da implementação do CAR.
Segundo o último balanço, ainda restam 135 milhões em área cadastrável em todo o Brasil. Até o dia 31 de dezembro, foram cadastrados 66,6% das áreas rurais que são obrigadas a aderirem ao sistema, cerca de 262,8 milhões de hectares foram registrados em todo o Brasil.
A região Norte lidera o ranking de cadastros: 82,7% do território já está no sistema, seguida da região Sudeste (65%), Centro-Oeste (64%) e Nordeste (37%). O Sul está na lanterna e só cadastrou 33% da área.
Quem não aderir ao CAR não terá acesso ao crédito rural. O prazo-limite vence no dia 5 de maio.
O Cadastro Ambiental Rural é um registro eletrônico que identificará as reservas legais e as áreas de preservação permanente das propriedades rurais do país. Com o cadastro, os órgãos ambientais saberão quem tem passivo ambiental e quem está seguindo o que determina a lei.


terça-feira, 28 de julho de 2015

Caixa e Meio Ambiente lançam edital para cadastrar terras do semiárido

. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e a presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, lançaram nesta segunda-feira, 27, edital para selecionar instituições interessadas em apoiar a inscrição de pequenas propriedades e posses rurais de nove Estados do semiárido no Cadastro Ambiental Rural (CAR). De acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), R$ 10 milhões serão disponibilizados para a iniciativa. A expectativa do ministério é que cerca de 50 mil imóveis rurais sejam cadastrados. O CAR é um registro público eletrônico das características ambientais obrigatório para as propriedades rurais, que devem atualizar seus dados até 5 de maio do ano que vem. Segundo o MMA, no entanto, Estados como Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte ainda não atingiram nem 10% da área a ser cadastrada. Além desses, também podem ser contemplados com recursos Alagoas, Bahia, Piauí, Sergipe e Minas Gerais. “Quem não tiver o CAR será impedido de acionar crédito agrícola”, salientou o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Raimundo Deusdará Filho. “É também uma ferramenta de combate ao desmatamento e plataforma para políticas públicas”, continuou. No semiárido, que compreende um total de 1.133 municípios, são 49,4 milhões de hectares passíveis de serem cadastrados. “Vamos acabar com o achismo ambiental e trabalhar com dados neste País”, destacou a ministra Izabella. “O Brasil quer soluções.” Poderão participar da concorrência instituições privadas sem fins lucrativos com a experiência na realização do CAR e em trabalhos com agricultores familiares e comunidades tradicionais do semiárido. Os valores para os projetos devem ser de R$ 1,5 milhão a R$ 2 milhões. Os projetos deverão ter até oito meses de duração e cadastro mínimo de 10 mil imóveis. As propostas deverão ser enviadas até dia 30 de agosto. Movimentos sociais agrários que participaram do evento parabenizaram a atitude do governo, mas já adiantaram que os recursos são insuficientes para toda a operação. A presidente da Caixa destacou que o edital “tem tudo a ver” com a missão da instituição, que é atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento socioambiental. “A Caixa funciona como um braço do Estado brasileiro”, disse, citando, entre outros, o projeto Minha Casa Minha Vida. O CAR, de acordo com Miriam, é um catalisador da preservação dos recursos naturais e de promoção do desenvolvimento local, em especial dos agricultores familiares. “A Caixa está sintonizada para a produção de riqueza com base sustentada.” A presidente da Caixa disse ainda que a sua equipe e a do MMA já analisam outros caminhos para outros editais semelhantes ao lançado hoje. Números O MMA informou que, até o fim de junho, de toda área possível de ter registro do CAR no País, um total de 397,5 milhões de hectares, 57,27%, já foi cadastrado, o que representa 227,6 milhões de hectares. A Região Norte é a que está mais adiantada, com 76,52% da área total cadastrável (94,8 milhões de hectares) já atualizada. Em seguida está o Centro-Oeste, com 53,82% dos 129,9 milhões de hectares identificados. Na sequência, vêm o Sudeste – com 48,72% dos 54,9 milhões de hectares – e o Nordeste – com 23,01% dos 76,1 milhões de hectares. O Sul do País é a região mais atrasada, com apenas 19,87% dos 41,7 milhões de hectares possíveis

sábado, 1 de março de 2014

Grandes blocos desfilam hoje no Rio

   28/02/2014 17h10
  • Rio de Janeiro
Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Abre-Alas banner

Os orixás mandam seu axé para o carnaval de Rua do Rio de Janeiro, através do Bloco das Carmelitas, que desfila hoje (28), até as 19h, em Santa Teresa, com samba em homenagem às divindades do candomblé. Um dos blocos mais tradicionais da cidade, chega a reunir 10 mil foliões nas apertadas ladeiras do bairro.
No centro da cidade, saem o Bloco dos Aposentados (17h, na Rua Primeiro de Março), o Escorrega na Baba do Quiabo (18h, no Buraco do Lume, Rua Nilo Peçanha), o Molha o Pé das 8 (20h, na Rua Rodrigo Silva), e o Escorrega mas Não Cai (21h, também no Buraco do Lume).
Na zona sul, o Arpoador recebe o bloco Vem ni Mim Que Sou Facinha, com previsão de 30 mil foliões, a partir das 19h; o Bloco Virtual sai no Leme, também às 19h; a turma do Senta Que Eu Empurro abrilhanta o carnaval da Rua do Catete, a partir das 20h, e o bloco Rola Preguiçosa - Tarda mas Não Falha, às 20h, em Ipanema.
Na Tijuca, a Banda Cultural do Jiló anima a Rua Pinto de Figueiredo, a partir das 22h, com previsão de 2.500 pessoas. No Grajaú, tem Cata Latas do Grajaú, às 18h, na Praça Nobel, e a Turma dos 300, às 19h, na Praça Edmundo. E na Vila Isabel, o bloco Eu Sou Eu, Jacaré é Bicho D'água se concentra às 20h, na Rua Visconde de Abaeté.
Na zona norte, o Monarca do Irajá concentra a partir das 20h, na Estrada da Água Grande; o Boêmios do Méier sai às 19h, na Rua Constança Barbosa; e o Unidos do Chapadão batuca até as 22h, na Avenida dos Campeões, em Ramos.
A zona oeste tem o bloco Meia Dúzia de Gatos Pingados (19h, em Bangu), Geriatria e Pediatria (20h, em Campo Grande), Caldeirão do Coqueiro (21h, no Santíssimo), e em Pedra de Guaratiba desfilam o Bloco do Boi, Só Falta Você, às 18h; Boêmios do Catruz, também às 18h; e o Bloco das Piranhas do Jeffinho, às 20h.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

RESUMO DOS JORNAIS DE HOJE, 24-02-2014 (SEGUNDA FEIRA)

24 de fevereiro de 2014
Correio Braziliense

Manchete: Manual de uma tragédia
Junte 11 pessoas para passeio em canoa com capacidade para cinco.

Permita que, no grupo embarcado, 10 não usem o colete salva-vidas.

Coloque na embarcação nove integrantes que não saibam nadar.

Convoque para pilotar o veículo alguém que não tenha habilitação.

Resultado: sete mortos, incluindo quatro crianças, da mesma família.


Esse roteiro de desleixos provocou o afogamento de quatro crianças, uma adolescente e dois adultos no Rio Corumbá, em Luziânia, na tarde de sábado. Os 10 passageiros eram parentes, a maioria morava em Santa Maria e visitava a chácara da matriarca da família. Pedro Henrique, 6 anos, o único com colete, salvou a mãe, Joseane, que não sabia nadar. Piloto e sobreviventes têm versões distintas para as causas. A Polícia Civil de Luziânia começa a apurar o episódio e trabalha com a hipótese de homicídio culposo. (Págs. 1 e 17 e 18)

Trabalhador paga o triplo em 10 anos
Volume de tributação retida na fonte subiu devido ao aumento da remuneração, às oportunidades de emprego e à defasagem da tabela de declaração. Especialistas criticam a relação entre a pesada carga paga pelos trabalhadores e a péssima qualidade dos serviços públicos. (Págs. 1 e 7)
Rumo à prisão
O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), que denunciou o esquema do mensalão, aproveita os últimos instantes de liberdade. Ele deverá ser detido hoje. (Págs. 1 e 3) 
Dinheiro: PF gasta R$5,4 mi com remoção de servidores
Ajudas de custo individuais, motivadas por transferências administrativas pelas regiões do país, pesam no bolso do contribuinte. (Págs. 1 e 2)
Eleições 2014: Agnelo é indicado à reeleição
0 diretório regional do Partido dos Trabalhadores confirmou, por unanimidade, a candidatura do atual chefe do executivo do DF. (Págs. 1 e 20)
Presidente interino da Ucrânia flerta com a UE (Págs. 1 e 12)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Crime sem fronteiras
Quadrilhas paulistas fizeram quase 80 ataques a bancos em cidades do Sul de Minas no ano passado.

O cerco feito por uma força-tarefa policial a um bando de ladrões de banco em Itamonte, que amanheceu marcada pelo tiroteio, como a fachada de um hotel, e a morte de nove suspeitos são mais um registro das incursões de criminosos oriundos de São Paulo aos municípios sul-mineiros. Segundo levantamento da Secretaria de Defesa Social (Seds), houve em 2013 pelo menos 53 ataques com uso de explosivos a agências bancárias na região. Mas fontes não oficiais informam que foram quase 80 ações. Investigações apontam que os grupos são ligados a poderosas organizações criminosas do país, com forte ramificação no território paulista. Ontem à tarde, dois bandidos que fugiram ao cerco em Itamonte sequestraram um comerciante na BR-354. No fim da noite, a polícia matou um deles e libertou o refém. (Págs. 1 e 17)
Diretas Já: Comício que entrou para a história de BH
Em 24 de fevereiro de 1984 cerca de 400 mil pessoas lotaram a Praça Rio Branco, também conhecida como Praça da Rodoviária, em apoio a campanha Diretas Já. No palanque, artistas e políticos, entre os quais Lula, Leonel Brizola, Ulysses Guimarães e Tancredo Neves. Foi o terceiro maior comício do país pela volta do direito de eleger o presidente da República. Os mais concorridos foram no Rio (1 milhão) e São Paulo (1,5 milhão), ambos em abril daquele ano. (Págs. 1 e 6)
Mensalão: Jefferson curte de moto o domingo de liberdade ( Págs. 1 e 2)

Ucrânia: Novo presidente promete aproximação com ocidente (Págs. 1 e 14)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Ousadia e fôlego na rua
Domingo pré-carnavalesco mostrou que o folião está disposto a se jogar de cabeça na festa. Multidão curtiu a irreverência das Virgens do Bairro Novo, pela manhã e à tarde. Recife Antigo e o Olinda Beer ficaram lotados até a noite. (Págs. 1 e capa dois e página 8)

Serviços vão fazer a inflação subir na Copa
Especialistas acreditam que a aceleração vai se dar apenas entre junho e julho. (Págs. 1 e 7)
Expectativa para anúncio de Paulo Câmara
Presença de João Lyra ainda é incerta no ato para lançamento da chapa governista. (Págs. 1 e 3)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Peso no prato: Dentro e fora de casa, comida eleva a inflação
Preço de alimentos, como frutas, legumes e carnes, subiu 79,1% nos últimos sete anos, enquanto a média geral do IPCA aumentou 45,9% no período. (Págs. 1 e 4 e 5)
Antes da prisão, um passeio
Delator do mensalão, Jefferson, vigiado pela PF, aproveitou ontem "momentos finais de liberdade" e deve ser levado hoje a penitenciária. (Págs. 1 e 8)
Negócios suspeitos: FBI está no rastro de advogado gaúcho
Na conta de Maurício Dal Agnol, que está no Exterior, teriam passado R$ 480 milhões em quatro anos. (Págs. 1 e 38)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: "Ainda e cedo pra cravar a vitória de Dilma"
Com o aval de quem se tornou conhecido por antecipar o golpe de 1964 em artigo escrito em 1962, o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos não nega o favoritismo da presidenta para a reeleição, mas alerta que muita coisa pode acontecer. Fundador do Iuperj e escritor reconhecido internacionalmente, ele não vê nas manifestações de rua uma ameaça à democracia. "Ao contrário, demonstram que as instituições democráticas do país estão fortes". Ele diz ainda que a vida da oposição ao governo federal não está fácil: toda crítica tem, como resposta, a elaboração de um programa social. (Págs. 1 e P4 a 7)

Balcão: Bovespa e Cetip brigam por renda fixa
As duas instituições disputam um mercado de R$ 1 trilhão em títulos privados. Operadores esperam que a concorrência reduza os preços do registro de papéis, a partir de março. (Págs. 1 e P20 e 21)
Sustentabilidade: Clima muda e projetos levam choque de realidade
Fenômenos climáticos atípicos já fazem parte do planejamento estratégico de empresas, que buscam soluções para manter a produtividade em situações adversas. (Págs. 1 e P12)

Infraestrutura: Com os projetos para Copa e Olimpíada, o faturamento da brasileira Elevadores Villarta cresceu 15% em 2013. (Págs. 1 e P15)

Olhar do Planalto: AGU, BC e Caixa preparam relatório para convencer o STF que é impossível alterar a correção do FGTS. (Págs. 1 e P9)

Contas externas: Janeiro fechou com déficit de US$ 11,59 bilhões. Brasileiros gastam menos no exterior com alta do dólar e IOF. (Págs. 1 e P8)

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Papa Francisco nomeia dois bispos do Rio

Dom Nelson Ferreira assumirá a diocese de Valença e Antonio Carlos Santos a de Caicó

 Jornal do BrasilCamila Funare

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Brasil está preparado para enfrentar a crise financeira que atinge os emergentes - diz presidente Dilma

Ter 04/02/14 - 8h -
Se dizendo preocupada com a instabilidade da economia em ano eleitoral, a presidente Dilma Rousseff enviou mensagem ao Congresso, ontem, pedindo aos parlamentares “esforços para frear a alta dos preços e manter o equilíbrio fiscal em 2014”. Segundo o jornal “Folha de São Paulo”, “o temor da presidente reside da possibilidade de aprovação de projetos que pressionem ainda mais a inflação ao longo do ano”. Dilma Rousseff disse também que “o Brasil tem as condições necessárias para enfrentar a crise financeira que atinge os emergentes e alfinetou países desenvolvidos, afirmando que ninguém pode reconstruir a economia global isoladamente”. Ontem, resultados frustrantes das economias da China e EUA derrubaram as bolsas.